quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Pérolas da mitologia - Povos diferentes

(Amazona Ferida, Fidias - Museus Capitolinos - Roma)
Desde que essa estória foi gestada há mais de 2500 anos atrás, na velha Grécia, pouca coisa mudou entre homens e mulheres. Consta que os gregos derrotaram as ferozes Amazonas, tribo que formou o maior matriarcado de que tem notícia na história. No trajeto, elas se amotinaram e jogaram a tripulação grega no mar. Como não sabiam navegar, ficaram à deriva no mar, ao sabor do vento, até que a correnteza as levou às praias da selvagem Cítia. Ali elas se apropriaram de cavalos e começaram a pilhar o interior daquele país.
No começo, os citas ficaram perplexos. Não sabiam quem eram aqueles guerreiros cuja fala não conheciam e também sua maneira de vestir. Contudo, após o primeiro confronto, examinando um cadáver observaram que eram mulheres. Então decidiram que valia a pena ter filhos com aquelas valorosas guerreiras. Para isso, mandaram que os solteiros fosse, acampar perto delas e as observassem em tudo, porém sem hostilizá-las em nada. Feito isso, quando elas atacavam, eles recuavam, sem luta, para convencê-las de suas intenções pacíficas. Admirando-os pelo valor que tinham demonstrado em combate e admirando-os pela atitude amistosa agora, elas deixaram os jovens citas ficarem onde estavam acampados. Sendo homens e mulheres, não é preciso dizer que a distância entre os dois acampamentos foi encurtando a cada novo dia.
No final de cada dia, elas passaram a se afastar do acampamento, sozinhas ou aos pares, a fim de cumprirem o que a natureza manda. Os citas fizeram o mesmo. Quando um deles encontrou o outro na beira do rio, o inevitável aconteceu, para alegria de ambos. Depois ela avisou, por meio de sinais, que voltaria no dia seguinte com uma amiga, e que ele fizesse o mesmo. Em pouco tempo todos formavam casais. O passo seguinte foi unir os acampamentos, passando a morarem juntos.
Os homens(como até hoje), não conseguiram aprender a língua das mulheres, enquanto elas rapidamente passaram a entênde-los.
Quando eles propuseram que elas fossem morar com eles junto ao seu povo, elas recusaram: "Gostamos de caçar e cavalgar livremente.Jamais viveremos como as mulheres citas, que passam seus dias ocupadas com afazeres domésticos. Se querem ficar conosco, vamos nós, todos juntos, achar um lugar para começar vida nova".
Os jovens concordaram e todos levantaram acampamento e viajaram para muito longe, para o norte, onde se tornaram a tribo dos Sauromatas, cujas mulheres nunca deixaram de cavalgar e lutar ao lado de seus homens, provando que o segredo da harmonia entre os sexos é o gosto por essa estranheza recíproca e a aceitação de que existe uma ignorância entre eles que nunca será superada, pois são povos diferentes.

Um comentário:

aconteceunaquelanoite disse...

Ola,
fiquei feliz em ve-la no meu blog
abraços

Júnia

obs: fique a vontade viu!